2015 foi positivo, apesar da crise

Publicado em Por Hosana Cortenove

Zani destaca realização de investimentos em Santa Maria da Serra

 

Zani está em seu segundo mandato, que se encerrará em 31 de dezembro do ano que vem, cita as dificuldades, mas também muitas obras e realizações, destacando que a cidade vem enfrentando dificuldades em virtude da crise econômica que o Brasil atravessa.

Nesta semana, o prefeito de Santa Maria da Serra, Josias Zani Neto (DEM), concedeu uma entrevista a nossa reportagem, onde falou sobre as ações desenvolvidas durante o ano e as expectativas para 2016.

“Apesar de todas as dificuldades econômicas que o País atravessa, mesmo assim conseguimos ter um ano positivo. Pudemos entregar o Centro de Fisioterapia João Pratti, as novas quatro sala de aula da EMEB “Dona Zina Saviolo Cury”, a entrega da Creche Escola “João Professor”, que contou com a presença de nosso governador; o inicio da construção da nossa segunda Creche Escola; o inicio das obras da Unidade Básica de Saúde do bairro do Bom Jesus, que aguardamos apenas o repasse do Governo Federal para que as obras continuem; recapeamento asfaltico; as obras do Centro de Eventos. Enfim, essas são obras que vem acontecendo, mas que foram também plantadas em anos anteriores. Esse é um trabalho de continuidade”, destaca o prefeito Zani.

Municipalista convicto, Zani, destaca que os municípios brasileiros passaram um ano difícil, pois observaram a queda de repasses de recursos constitucionais, como o FPM (Fundo de Participação dos Municípios).

“Já lutamos para que os recursos possam ser aumentados, pois os municípios têm muitas obrigações constitucionais e nesse ano vimos os recursos caírem de forma significativa. Causando em muitos municípios brasileiros quase uma falência, prejudicando até no pagamento de servidores, o que graças a Deus não nos aconteceu”, destaca o prefeito Zani.

“Um município como o nosso, que tem uma baixa arrecadação não consegue se manter. O nosso IPTU é muito baixo. Se todos pagarem o IPTU arrecadaríamos cerca de R$ 380 mil por ano.  Não fizemos nenhum aumento, apenas a recomposição da inflação. Então procuramos não sacrificar a população. Esse é um recurso que seria cem por cento nosso, mas não dá para pagar nem uma folha de pagamento. Então dependemos dos repasses e o FPM caiu muito. Está tendo uma queda muito grande. Em fevereiro arrecadamos R$ 550 mil e em setembro arrecadamos R$ 330 mil. Então da uma média de até R$ 200 mil de queda por mês nos repasses do fundo. Isso é muito significativo”, enfatiza o prefeito Zani.

“O funcionalismo é nossa prioridade numero um. Temos priorizado isso e temos algumas pendências com alguns credores, mas estamos conversando com eles e pedimos a colaboração da comunidade, pois não estamos tendo arrecadação suficiente para cobrir todas as despesas. Todos aqueles que puderem pagar os impostos e taxas em dia também podem ajudar, além da compreensão necessária”, ressaltou Zani.

O prefeito Zani destaca que para 2016 existem diversos projetos que ele espera que ainda possam ser atendidos pelos demais governos.

“No governo federal temos vários pedidos de melhoria de infraestrutura, temos para reforma do prédio do Pronto Atendimento. Pedidos de veículos novos para transporte escolar. Já no governo do Estado temos o compromisso do próprio governador que atenderia nossos pedidos anteriores pendentes nas secretarias. Temos pedido de recursos para infraestrutura do Distrito Industrial. Mas sabemos que as dificuldades tem sido geral e vamos aguardar para verificar como as questões ficarão”, destaca o prefeito.

“Infelizmente para 2016 as expectativas ainda não são boas, pois não sabemos como será a questão da crise econômica e também a própria situação política. No entanto, daremos continuidade as obas que estamos fazendo e buscaremos novos recursos, junto aos demais governos. O nosso compromisso é de trabalho permanente até o ultimo dia de mandato, inclusive enfrentando essas adversidades”, finaliza o prefeito Zani.

Deixe um comentário abaixo