Águas de São Pedro completa 75 anos! Parabéns a bela Estância!

Publicado em Por Diagramador

Hoje, dia 25, a Estância Hidromineral de Águas de São Pedro completa 75 anos de fundação.

Fundada em  25 de Julho de  1940 a Estância Hidromineral de Águas de São Pedro adota o lema “Omnibus Pax Et Sanitas”, que significa “Para Todos Paz e Saúde”.

Águas de São Pedro é um dos onze municípios considerados estâncias hidrominerais pelo estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré requisitos definidos por Lei Estadual, quando ganhou o direito de agregar junto a seu nome o título de estância hidromineral.

A Estância Hidromineral de Águas de São Pedro surgiu quando Octavio Moura Andrade descobriu as propriedades medicinais das fontes de água mineral que o levaram à construção da cidade.

Na década de 1920, quando o então governador do estado de São Paulo Júlio Prestes determinou que se realizassem pesquisas para a prospecção de petróleo no município de São Pedro as pesquisas não tiveram sucesso em encontrar petróleo e os poços acabaram sendo abandonados, no entanto, continuaram jorrando águas termais sem que ninguém as aproveitasse.

Outras iniciativas de exploração foram realizadas posteriormente em grandes profundidades, porém o tão sonhado petróleo não foi encontrado. A estrutura da torre ainda existe no município em memória aos primeiros desbravadores, sendo denominada de Torre “Engenheiro Ângelo Baloni”.

Anos mais tarde, em 1934, Ângelo Franzin, dono das terras perfuradas, que é conhecida atualmente como “Fonte da Juventude”, construiu um balneário simples, onde se banhava.

A água tinha um odor ruim. Um ano depois um grupo de pessoas da cidade comprou um lote de 100 mil metros quadrados ao redor da fonte da juventude onde construíram um balneário. Na época eram doze banheiras de alvenaria, ao contrário do primeiro balneário, feito de madeira.

No mesmo ano Octavio Moura Andrade resolveu construir a estância dando-lhe o nome de “Caldas de São Pedro”, criando juntamente com seu irmão, Antonio Joaquim de Moura Andrade a empresa “Águas Sulfídricas e Termais de São Pedro S/A”.

Durante quatro anos o Instituto de Pesquisas Tecnlógicas (IPT) da USP (Universidade de São Paulo) realizou análises nas águas, sendo que em 1940 os resultados foram publicados no Boletim 26 do IPT e as águas foram consideradas adequadas para o banho e suas propriedades medicinais estudadas pelo professor João de Aguiar Pupo, então Diretor da Faculdade de Medicina de São Paulo (USP).

Em 1948 na divisão administrativa do Estado de São Paulo fixada para o período de 1948/1953, foi criado oficialmente o município com território desmembrado de São Pedro por proposta do então deputado estadual, depois Senador e Embaixador Auro Soares de Moura Andrade, filho de Antonio Joaquim de Moura Andrade.

O projeto de urbanização de Águas de São Pedro foi efetuado pelo reputado Eng. Jorge de Macedo Vieira que criou o melhor exemplo de uma “cidade-jardim” do Brasil, com amplos parques, muita área verde, ruas largas e suaves, sem grandes aclives, criando enfim um moderno projeto perfeitamente adequado à realidade topográfica do local escolhido para a implantação da nova Estância. Complementarmente também contratado o celebrado “Escritório Técnico Saturnino de Brito” que planeja toda a infra-estrutura sanitária, compreendendo o saneamento de grotas, lagoas e brejos de águas paradas – focos de mosquitos transmissores de doenças como a malária, dengue e outras – a rede de esgoto, a implantação do canal central, e o modelar serviço de abastecimento de água potável desde sua represa de captação e armazenamento, estação elevatória, linhas de adução, estação de tratamento, reservatório e linhas de distribuição e que ainda hoje, continua a atender à Estância.

Esse importante planejamento destacou a maioria das quadras como residenciais, poucas como comerciais e uma única área industrial – onde se localizava o engarrafamento das águas Gioconda e Almeida Salles e a industrialização de refrigerantes produzidos com essas águas: a Laranjada de São Pedro, o Guaraná São Pedro, a Brasicola, a Água Tônica e a Soda Limonada, além das áreas destinadas a parques e florestas, que correspondem a mais de 60% da área loteada. Como na época ainda não existia legislação prevendo obras, o Dr. Octavio Moura Andrade instituiu através de servidões que gravam os lotes, as características das edificações a serem feitas na nova Estância, tais como recuos e outras posturas, que serviram de base para a legislação criada a posteriori e proporcionaram a possibilidade de se ter atualmente uma cidade organizada e bem estruturada.

Antônio Joaquim de Moura Andrade, sócio do fundador de Águas de São Pedro na empresa “Águas Sulfídricas e Termais de São Pedro S/A” fundou também as cidades de Andradina, localizada no interior de São Paulo e Nova Andradina no Mato Grosso do Sul, tendo sido entre 1930 e 1960 considerado o maior pecuarista do Brasil e chamado de “O Rei do Gado”, recebendo inclusive homenagem em música sertaneja da dupla Tonico e Tinoco.

Em homenagem ao fundador da cidade e para manter viva a história de Águas de São Pedro é realizada anualmente a “Semana Cultural “Octavio de Moura Andrade” criada pela Câmara Municipal através de um Decreto Legislativo de autoria do vereador, Luiz Carlos Pinto da Fonseca que a época presidia o legislativo, evento que ocorre na semana do aniversário póstumo da passagem de Octavio Moura Andrade, que é natural de Brotas e nasceu em 07 de maio.

A estância hidromineral tem como prefeito Paulo Ronan (PSDB), que ocupa o cargo pela terceira vez; vice prefeito Paulo Barboza (PDT), presidente da Câmara Municipal, Marcos Bomfate (PR); e vereadores: Carlos Ivan Barbosa (PMDB), Maria Aparecida Sacaranelo – Meri (PSDB), João Victor Barboza (PPS), Ismael Justino (PT), Professor Marco Berto (PP), Dr. Luiz Carlos Pinto da Fonseca – Delegado (PMDB), Valdir Gibim (PMDB) e Rubens Antunes – Rubinho (PSDB).

Deixe um comentário abaixo