Brotas tem “mês do cachorro louco por aventura”

Publicado em Por Hosana Cortenove

Meios de hospedagem e operadoras de turismo oferecem benefícios e
descontos para os turistas explorarem Brotas com os seus pets

Com certeza você já ouviu falar que agosto é o mês do cachorro louco. Há
várias justificativas para esta designação, que vão de acontecimentos históricos nada bons neste mês, como guerras, incluindo a explosão da
bomba de Hiroshima, à concentração de cadelas no cio, o que deixaria os
cães enlouquecidos para conquistá-las, mas sem comprovação científica, ao fato de que é um período seco, propício para a transmissão da raiva. Mas, em Brotas, o mês é de cachorro louco, louco por aventura! Meios de
hospedagem e operadoras de turismo prepararam uma série de benefícios e descontos para que os turistas explorem Brotas com os seus pets. Afinal,
cada vez mais eles fazem parte da família brasileira e também merecem
curtir a capital do turismo de aventura!

O destino Brotas está estruturado para receber animais domésticos,
especialmente cachorros de pequeno e médio portes. Ao todo, 18 meios de hospedagens, incluindo pousadas, hotéis, resort, hotel-fazenda e campings, aceitam pets.

Como agosto é Mês de Cachorro Louco por Aventura, de 01 a 31, alguns deles não cobram taxa de hospedagem dos bichinhos e outros até
dão desconto na diária para humanos que estiverem com animal de estimação!
Não é um incentivo e tanto para levar o seu pet para passear num lugar de
natureza tão rica?

E os animais de estimação podem acompanhar seus donos em vários sítios
turísticos do município, como trilhas, cachoeiras e até mesmo na mais
famosa atração de turismo de aventura de Brotas, o Ratinho. Sim! Cães com espírito aventureiro, geralmente de raças como labrador, bode colite,
Golden retiver e vira-lata, acompanhados de seus donos, também descem as corredeiras do Rio Jacaré-Pepira em botes infláveis! Para a segurança e
conforto deles, o Rafting com pet é feito num trecho mais tranquilo do rio
e já se tornou uma modalidade da atividade na cidade, assim como o noturno e o destinado às crianças.

Em qualquer época do ano é bastante comum cães completando a lotação dos
botes de Rafting. Enquanto os humanos remam e tentam manter o rumo certo,
eles só aproveitam a descida, parecendo curtir muito as corredeiras e a
água que vez ou outra cai dentro dos botes. Às vezes, quando o instrutor
encosta a embarcação numa margem, é o primeiro da tripulação a mergulhar no rio. Como parte da promoção Mês de Cachorro Louco por Aventura, várias operadoras de turismo também dão descontos e até brindes para quem fizer Rafting com seu cão.

Para os pets menos aventureiros, os passeios indicados são trilhas na
natureza e banhos nas cachoeiras, córregos e rios. Vários sítios
turísticos de Brotas aceitam animais de estimação. Claro que é o dono, que tem sempre de estar junto com seu bichinho, a melhor pessoa para avaliar qual atividade o seu pet vai curtir numa boa, sem estresse nem cansaço além do suportável. E, também, cumprindo as regras de cada sítio
turístico, que pode incluir, por exemplo, exigência de que animais sejam
conduzidos na guia, e cuidando para que eles não passem sede nem fome e nem sofram com o calor. Eles costumam amar!

A veterinária Mariana Moraes Dionísio de Souza comenta que, de maneira
geral, passear com pet é muito bom.

O animal sai da rotina, faz exercícios
e se dez estressa.

Além disso, é uma oportunidade para estreitar a relação
entre o bicho de estimação e seu dono. Mas ela ressalta que é necessário
uma série de cuidados. O primeiro deles é que o cachorro esteja com as
vacinais em dia.

O segundo é uma avaliação, que o dono deve fazer antes de viajar, se a atividade pretendida é compatível com o perfil e temperamento do seu bicho de estimação. “É necessário considerar a raça, a idade – se
não é filhote nem idoso – e as condições gerais de saúde. Se precisar,
peça ajuda ao veterinário para fazer esta avalição”, sugere.
Cachorros, em geral, gostam de atividade física, mas tem de ser no limite
deles, lembra. “Eles não podem ser expostos a calor extremo, nem passar
sede e fome. E é preciso também tomar todos os cuidados no transporte e na acomodação do animal fora de casa, para que ele não se sinta
desconfortável”, explica a veterinária. Por isso, a opção de hospedar o
bichinho no apartamento dos donos é muito bem-vinda. Outra orientação é nunca deixar o pet sem plaquinha de identificação, com nome e telefone do dono, além de tentar manter a rotina e os horários habituais de
alimentação e necessidades fisiológicas.

As promoções estão publicadas no portal www.brotas.tur.br
A lista completa dos meios de hospedagem que aceitam pet está no portal
www.brotas.tur.br.

Deixe um comentário abaixo