CP contra prefeito de Águas de São Pedro poderá ser anulada indícios dão conta que denunciante real pode ser o presidente da Câmara

Publicado em Por Jose Guilherme Cortenove
CP contra prefeito de Águas de São Pedro poderá ser anulada indícios dão conta que denunciante real pode ser o presidente da Câmara

CP contra prefeito de Águas de São Pedro poderá ser anulada indícios dão conta que denunciante real pode ser o presidente da Câmara – Foto: Divulgação

Nesta sexta-feira, (10) o jornal “O Regional”, teve acesso a um documento, que pode ensejar a nulidade da Comissão Processante aberta recentemente para apurar possíveis irregularidades na compra de cestas básicas cometidas pela atual administração água-pedrense do prefeito Paulinho Barboza (PSDB).

O documento assinado por um representante da empresa Nutricesta afirma que a cotação foi realizada pela senhora Gabriela Lamaison Azevedo Noronha, que se identificou como funcionária da APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo). A senhora Gabriela Lamaison Azevedo Noronha é esposa do presidente da Câmara Municipal, vereador Nelinho Noronha (PT) e cunhada da presidente do sindicato, Maria Izabel Azevedo Noronha.

A possível nulidade consiste no fato de que os denunciantes são impedidos de votar e atuar nestes processos e embora a denúncia tenha sido apresentada pela AMAAS (Associação de Moradores e Amigos de Águas de São Pedro) o relato da empresa comprova que o verdadeiro denunciante seria Noronha, que segundo relatos na cidade vem arquitetando uma “possível cassação” do prefeito, já que teria interesse direto pois é sucessor do Chefe do Poder Executivo.

A empresa menciona dados da cotação e informações que levam a esposa de Nelinho Noronha como sendo a requerente.

Neste ano já foram diversas as tentativas de abrir processos com essa finalidade no Legislativo Municipal e a briga política tem se acirrado a cada dia, ou a cada sessão.

Independente da possível nulidade, que poderá ser arguida tanto no Legislativo, como em vias judiciais, fica evidente que a denúncia embora apresentada pela AMAAS tem por trás o presidente da Câmara Municipal, através de sua esposa, que inclusive marca presença constante nas sessões da Câmara e em atos cotidianos, fazendo manifestações sem ao menos ser advertida.

A nossa reportagem teve acesso inclusive a julgados que se referem às suspeições de votações onde os denunciantes são parentes de parlamentares ou tenham interesse direto no processo.

Ontem estivemos em contato com os vereadores Valter Ferreira e Marcelo da Silva Bueno, respectivamente presidente e relator da CP, que não quiseram se manifestar.

1 Comment so far. Feel free to join this conversation.

  1. Maria de Lourdes Lelis Camerotti 11/11/2017 at 10:53 - Reply

    Na minha modesta opiniâo o que deve ser levada em conta nâo e a briga pelo poder e sim a veracidade da denuncia para que aja transparencia no fato em si. Como municipe gostaria que tal denuncia fosse devidanente apurada pelos orgâos competentes. Obrigada.

Deixe um comentário abaixo