Cras Jerubiaçaba Águas de São Pedro “Construindo Caminhos” difunde novas perspectivas com oficina de Aromas

Publicado em Por Adelle Gebara

Nessa quarta e última matéria da série Cras Jerubiaçaba: “Construindo Caminhos”, vocês conhecerão a história de três mulheres que decidiram mergulhar no universo dos perfumes e essências, e que com isso conseguiram conquistar uma nova vida.

Os aromas nos remetem a um dos sentidos que muitas vezes esquecemos, mas que tem uma influencia grande na nossa vida, o olfato. A oficina de Aromas do Centro de Referência a Assistência Social Jardim Jerubiaçaba (Cras), tem uma proposta que vai além de ensinar um ofício, busca tornar a vida mais agradável, por meio dos cheiros.

Ângela Cristina Justo, 43 anos, é um exemplo de quem sabe aproveitar as oportunidades. Além da oficina de Aromas, ela também fez aulas de feltro no Cras e já está trabalhando nas duas áreas. “Busquei o curso pensando em uma fonte de renda. Não tinha conhecimento nenhum sobre o assunto. Acabei me deparando com algo totalmente diferente do que eu imaginava”. Os difusores aromáticos são o foco da empreendedora, que consegue vender para toda a cidade os dois tipos trabalhos que aprendeu no Centro de Referência.

Já Gilberta Braga Vasconcellos, 60 anos, e Flávia Maria Cividanis Lino e Freitas, 64 anos, estavam buscando nas oficinas do Cras algo que pudesse complementar suas vidas. “Comecei a fazer as aulas porque sou de São Paulo, vim para Águas de São Pedro há dois anos, e queria conhecer pessoas”, relatou Gilberta. Ela também relatou ter passado por problemas de saúde, deste modo, desejava encontrar algo para levantar sua autoestima e conseguir uma fonte de renda extra. “A partir da oficina, comecei a trabalhar com bolas aromáticas. Agora estou fazendo aulas de customização e gesso, mas minha prioridade são os aromas”, disse.

Gilberta faz bolas aromáticas que funcionam como um difusor. “Você coloca na porta do quarto, do armário, onde quiser”, explicou. A nova artesã dos cheiros está recebendo diversas encomendas, como lembrancinhas para crianças. “Eu consegui unir o útil ao agradável. É uma realização pessoal perceber o carinho das pessoas, poder dá prazer para mim e para quem estou vendendo e presenteando”.

Os aromas atuam no sistema límbico, parte do cérebro ligada as nossas lembranças. Por isso um cheiro pode nos remeter a uma pessoa, situação, um momento da vida. Trabalhar nesta área é atuar no campo das emoções. Não por acaso, os cheiros sempre foram atrativos para Flávia. Ela que mora há três anos em Águas de São Pedro, também realizou um sonho com a oficina de Aromas. “Sempre quis morar dentro de um boticário, quando surgiu o curso, a professora Ângela Costa comentou que iria fazer e eu decidi entrar também”.

A escolha dela foi pelo uso dos sprays, mas também faz outros tipos de aromatizadores e sachês. Os amigos são os principais clientes. “Dá para se trabalhar como um negócio, mas nossa maior dificuldade, por ser artesanato, é ter um espaço. Temos que ir no comércio para deixar nos estabelecimentos em consignação”.

De acordo com a artesã, a oficina do Cras lhe impulsionou para procurar uma especialização. “Eu segui as dicas da nossa professora e fui buscar mais informações em São Paulo. Mas fica aqui a sugestão para montar uma sequencia de cursos de aromas no próprio Cras”. A monitora da oficina, Ângela Costa, afirmou que ainda é difícil encontrar material na cidade para desenvolver as diversas possibilidades de Aromas, por isso busca informar suas alunas sobre onde encontrar mais conhecimento, além de acessórios e utensílios.

“Cras Jerubiaçaba Águas de São Pedro “Construindo Caminhos” difunde novas perspectivas com oficina de Aromas” – Foto: Arquivo Jornal O Regional

Deixe um comentário abaixo