Educação pública e de qualidade são algumas das prerrogativas da atual administração municipal de ipeúna

Publicado em Por Jose Guilherme Cortenove

Garantir o atendimento de 100% da demanda por vagas na rede municipal de educação, plenas condições de acesso, ensino e aprendizagem são algumas das prerrogativas da atual administração municipal e também marcaram os outros cinco mandatos do prefeito Ildebran Prata. Levantamento inédito – Ranking de Eficiência dos Municípios (REM) 2016, do Datafolha, instituto de pesquisa do jornal Folha de São Paulo, apontou que Ipeúna é o 12º município, entre os 5.281 municípios brasileiros pesquisados e a 4ª cidade paulista que mais entrega educação, comprovando os fortes investimentos na Educação, especialmente nos últimos oito anos.

Ipeúna conta com quatro unidades de ensino municipal, que atendem 997 alunos neste ano, desde a modalidade creche até o Ensino Fundamental Ciclo I, sendo todas as escolas construídas durante os mandatos do prefeito Ildebran Prata. Para ele, uma educação de qualidade é fundamental para garantir a formação de cidadãos conscientes e profissionais competentes. “Por isso, estamos sempre atentos às necessidades da Educação, a fim de garantir um ambiente com plenas condições de ensino e também de aprendizado. O resultado do levantamento mostra que estamos no caminho certo, embora os investimentos devam ser constantes e sistemáticos”, afirma.

A rede municipal de Ensino dispõe de total infraestrutura para estímulo do aprendizado, com instalações adequadas, equipamentos como computadores, impressoras, TVs de Led (em todas as salas de aula), material pedagógico e escolar, mobiliário, programas de capacitação dos educadores. Além disso, a Prefeitura investe continuamente na manutenção da estrutura física, com reformas e adequações para atender às necessidades de ensino e aprendizado.

Ipeúna foi a primeira cidade da região a oferecer Educação Infantil e creche pública. Em 1982, o prefeito Ildebran Prata, atento às necessidades, criou a Creche Municipal, inicialmente instalada no Centro Comunitário “Armando Zamboni”. “A criação da creche foi um desafio, pois não tínhamos experiência no planejamento da rotina das crianças nesta faixa etária, mas conseguimos avançar e consolidar o trabalho”, comenta o prefeito. Em julho de 1989, a Prefeitura inaugurou o prédio próprio, totalmente adequado ao público atendido.

Atualmente, 180 crianças estão matriculadas na Educação Infantil (Pré I e Pré II), atendidas no período integral ou parcial na EMEIEF “Ildebran Prata”, conforme a escolha da família. “Atendemos 100% da demanda por vagas nesta modalidade, já há vários anos”, explica a diretora Adriana de Lima Ortolan. Entrou em vigor neste ano a lei que estabelece a obrigatoriedade da pré-escola para as crianças de 4 e 5 anos. “Nossa proposta curricular tem por objetivo o desenvolvimento da criança e a brincadeira. As atividades, além de divertidas favorecem o desenvolvimento físico, motor, intelectual e artístico das crianças”, ressalta a coordenadora pedagógica, Jeane Magrini Callegaro.

Entre os projetos desenvolvidos pela escola, estão as oficinas pedagógicas, que contemplam as artes, jogos de raciocínio, histórias, teatro, música, atividades lúdicas, entre outras. Aline Fernanda Doná acredita na proposta da escola. “Não é à toa, que minhas duas filhas mais velhas estudaram na EMEIEF, e agora meu caçula também. Gosto da estrutura da escola, do ensino e também dos profissionais”, afirma.

A EMEI “Maria Luisa Zanoni Prata”, a mais nova unidade de ensino do município, localizada no bairro Altos de Ipeúna, atende atualmente 203 alunos nos períodos integral e parcial na modalidade creche. O início das atividades da unidade em 2015 marcou a redução da idade dos escolares de 12 meses para nove meses para matricula na modalidade. “Embora tenhamos crianças a partir dos nove meses, nosso foco não é só o cuidado, mas o cuidado associado à educação, com o objetivo de incentivar o desenvolvimento da autonomia, conscientização e também aspectos físico, emocional e cognitivo”, esclarece a diretora Arlete Mathias salientando que as atividades são específicas para cada faixa etária e a partir do Maternal I, desenvolvidas por professores.

O espaço foi construído especialmente para os pequenos com um investimento de cerca de R$ 2,5 milhões em recursos próprios. São 1.259 m² de área construída, organizada em salas de aulas, dormitórios, refeitório, cozinha, lactário, videoteca, biblioteca, brinquedoteca, lavanderia, despensa, sanitários, áreas administrativas e de serviços. A novidade são as áreas de lazer que, além de playground externo, conta também com playground interno, com gramado sintético, localizado sob a cobertura de policarbonato.

Valeska Parise, mãe do aluno Rafael, 3, está satisfeita com a qualidade do ensino da unidade escolar. “Sempre estou orientada a trabalhar em parceria com a creche para o bem estar do meu filho. Estou 100% satisfeita com o modo com que a creche esta sendo direcionada. Amor, dedicação e comprometimento são as palavra que descrevo as qualidades de cada funcionário que lá se encontram”, elogia.

Escola Municipal de Tempo Integral – Contando com uma rotina planejada e dinâmica, 106 alunos são atendidos diariamente na EMTI por aproximadamente 10 horas. A Escola iniciou as atividades em prédio próprio em 2010 e funciona em dois turnos: pela manhã é desenvolvido o currículo básico do Ensino Fundamental, compreendendo os componentes curriculares do Parâmetro Curricular Nacional (PCN) e, à tarde, são realizadas oficinas: Dança, Natação, Futebol, Coral, Culinária, Atividades Artísticas, Atividades Esportivas e Motoras, Atividades de Participação Social, Atividades de Linguagem e Matemática, Aulas de Música e de Computação. No intervalo dos turnos, os alunos têm uma hora de descanso, quando podem usufruir da Brinquedoteca ou assistir vídeos em TVs LCD 32”, instaladas em todas as salas de aula.

Mariana Carolina da Rocha, mãe da aluna Júlia Rocha, do 2º ano, acompanha de perto o dia-a-dia da filha na escola e destaca que a modalidade integral, além de reforçar o ensino por meio das oficinas do contraturno, permite uma integração entre a escola e a comunidade. “Sou muito presente, acompanho o dia-a-dia da escola de perto. Vejo uma evolução muito positiva em minha filha no que diz respeito ao aprendizado, conhecimento e também novas experiências. É o caso das aulas de natação, ela tinha muito medo da piscina, agora encara com naturalidade. As oficinas de culinária e de música também tiveram um efeito muito bom sobre ela”, aprova.

EMEF “Dr. Ulysses Guimarães” – Localizada no bairro Altos de Ipeúna, a EMEF “Dr. Ulysses Guimarães” também atende aos alunos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental I. Neste ano, 308 alunos estão matriculados na unidade, que oferece o ensino regular no período matutino e vespertino; e, à tarde, disponibiliza aos alunos, o Projeto Criança Ativa, que por meio de atividades extracurriculares garante um melhor aproveitamento do conteúdo das aulas regulares.

De acordo com o coordenador do projeto, o professor Valter Lopes, 120 crianças estão matriculadas no Criança Ativa e frequentam diariamente as seguintes oficinas: Informática, Artesanato, Jogos de Tabuleiro, Futsal, Recreação, Música (Instrumentos de Sopro e Bandinha), Esportes (Handebol, Vôlei, Natação, Badmington, Tênis de Quadra, Basquete, Tênis de Mesa, Ginástica Artística e Atletismo); além de reforço escolar.

A diretora ressalta que desde a reformulação do Projeto, em 2010, tem mudado muito o comprometimento dos alunos com o Projeto. “Inicialmente, quando se falava sobre o Projeto pensava-se que apenas as crianças cujos pais trabalhavam fora o dia todo participavam, mas desde a reformulação, temos observado que as crianças têm participado por vontade própria, pela oportunidade de vivenciar novas experiências que o Projeto proporciona”.

Para Rosangela Correia, mãe do aluno Daniel Ferreira Correia, do 1º ano, matricular o filho no projeto vai além do fato de ele estar em um lugar seguro. “Este é o primeiro ano dele no Projeto e já percebemos que sua permanência no Projeto tem trazido significativa influência no seu desenvolvimento físico, intelectual e social, proporcionada pela possibilidade de interação com outras crianças e pessoas. O Projeto conta com ótimos profissionais, atividades e brincadeiras direcionadas, reforço escolar e boa alimentação”, destaca o pai Vitor da Silva.

Todas as crianças atendidas pela rede municipal de Educação, também contam com atendimento de saúde, por meio da Secretaria de Saúde; periodicamente, as crianças são submetidas a testes de acuidade visual, avaliação biométrica, além de atendimento com especialistas, como psicólogo, dentista, oftalmologista, fonoaudióloga, fisioterapeuta e pediatra, sempre que necessário. Diariamente, as escolas oferecem cinco refeições: café da manhã, lanche, almoço, lanche da tarde e lanche da saída, de acordo com a permanência na instituição de ensino, e contam com o transporte escolar gratuito, disponibilizado aos alunos tanto da região urbana, quanto da rural.

Deixe um comentário abaixo