Lançado livro que conta a trajetória de um dos maiores jogadores do XV

Publicado em Por Diagramador

Foi lançado na última sexta-feira, 8, no Centro Cultural e Recreativo Cristóvão Colombo, o livro que conta a carreira profissional de sucesso do maior artilheiro da centenária história do XV de Piracicaba: “Gatão: do XV ao Corinthians, tributo à trajetória de um vencedor”, obra do professor da Universidade Mackenzie Adolpho Queiroz e do estudante de publicidade Pedro Sakr.

O evento contou com a presença de ex-jogadores, como Zé Maria, Pitanga, Douglas Pimenta, Mika e Tuta, além de amigos e parentes de Gatão, entre eles os filhos Sérgio Fernando Naval, o Gatãozinho, e Vicente Antônio Naval, o Tatau. “O Gatão é um exemplo de vida como esportista, amigo, pai, avô e marido. O livro é uma homenagem e um jeito de reverenciar, mesmo que tarde, tudo aquilo que ele representou para o XV, Corinthians, Ponte Preta e os outros times em que atuou”, disse Queiroz.

A ideia da produção da obra surgiu após um encontro entre Queiroz e Gatãozinho, que se emocionou com a iniciativa do professor universitário e abriu as portas de sua casa, colocando todo o material necessário à disposição para que o projeto fosse concluído. Queiroz espera que sua atitude sirva de inspiração para outros profissionais. “Eu espero que seja importante para a cidade reverenciar a memória do Gatão e mais do que isso, que com o meu gesto, outros historiadores e jornalistas da cidade, de uma certa forma, peguem essa ideia de recuperar a memória de ex-jogadores, ex-presidentes do XV, entre outras pessoas importantes na história do Alvinegro Piracicabano, porque acho que o clube merece todo o nosso carinho”, falou.

Vicente Naval Filho, o Gatão, é um dos maiores jogadores que atuaram no XV de Piracicaba. Membro da seleção do centenário, publicada no livro oficial do clube, foi campeão da cidade e da 15ª região (que garantia vaga para o campeonato do Interior) em 1946; bicampeão do Interior em 1947-48 e campeão do Torneio Início da FPF (Federação Paulista de Futebol) em 1949, marcou 202 gols com a camisa do Nhô Quim.

Inicialmente serão disponibilizados 1500 exemplares da publicação do IHGP (Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba) que conta ainda com ilustração de Erasmo Spadoto, revisão de Eleni Destro e projeto gráfico Fábio D’Abronzo Rontani. A logística de comercialização da obra ainda não foi definida.

Deixe um comentário abaixo