Policia Militar interrompe “Tribunal do Crime” em Torrinha

Publicado em Por Hosana Cortenove

No final de semana passado, a Polícia Militar (PM) conseguiu interromper sessão do “Tribunal do Crime” que era realizada em uma residência em Torrinha e libertar o “réu”, que estava sendo “julgado” por membros de uma facção criminosa por suposto estupro. No total, sete pessoas foram presas acusadas de vários crimes.
De acordo com informações da PM e citadas no Jornal Cidade de Bauru, no domingo passado, dia 08, por volta das 17h30 minutos, uma pessoa telefonou para o 190 e contou que homem havia sido agredido e colocado no porta-malas de um carro por, supostamente, ter estuprado uma mulher.

Segundo a reportagem, o denunciante revelou, ainda, que a vítima seria julgada por “Tribunal do Crime” comandado por conhecida facção criminosa e que membros do grupo de outros municípios estariam se dirigindo até a cidade para participar do “Júri”.

Segundo a reportagem, a PM pediu apoio da Força Tática de Rio Claro e, após diligências, a equipe abordou um Palio Weekend, com placas de Conchas, na rodovia SP-304. Questionados, os ocupantes acabaram confessando que participariam do julgamento.

“No endereço indicado por eles, os policiais militares encontraram a vítima sendo torturada por outros integrantes da facção criminosa. No total, sete pessoas foram presas, sendo seis homens e uma mulher, vítima do suposto estupro”, destaca a matéria.

“Com um dos homens, PM apreendeu espingarda calibre 12 e colete a prova de balas. O grupo foi levado à delegacia e autuado em flagrante por crimes como sequestro, tortura, cárcere privado, porte ilegal de arma e formação de quadrilha”, completa outro trecho da matéria.

Após o flagrante, os presos foram encaminhados para unidades prisionais de Rio Claro.

Segundo a reportagem, o JC telefonou para a delegacia de Torrinha, mas foi informado de que o delegado de Policia Civil estava registrando a ocorrência e não poderia atender a reportagem.

Deixe um comentário abaixo