Prefeito Barjas Negri autoriza abertura de licitação para reforma do Teatro Dr. Losso Netto

Publicado em Por Hosana Cortenove

Fechado desde abril de 2013, readequação do projeto inicial vai possibilitar a reabertura do Teatro

O prefeito Barjas Negri autorizou a abertura de edital de licitação para reforma do Teatro Dr. Losso Netto. O edital, no valor de R$ 1,2 milhão, recurso que virá de remanejamento, contempla obras de adequação para a reabertura do espaço, fechado ao público desde abril de 2013. No fim de janeiro, o prefeito Barjas Negri anulou quatro processos licitatórios de obras de construção, ampliação e reforma, que somavam mais de R$ 19 milhões, por insuficiência de recursos. Entre as licitações estava a do Teatro, no valor de R$ 5,068 milhões, no entanto, havia no Orçamento 2017, R$ 760 mil, que foram reduzidos para R$ 228 mil com o contingenciamento de 70%.

Após estudo da Secretaria Municipal de Obras (Semob), o projeto que contempla o Teatro, inaugurado em 1978, foi adequado à realidade financeira atual. “Faremos as obras necessárias para devolver o Teatro Dr. Losso Netto à população e à classe artística o mais rápido possível”, ressalta Barjas.

A adequação do projeto contempla ações necessárias para a obtenção do AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros), como a instalação de corrimãos, retirada de cadeiras para estabelecer rota de fuga, detector de fumaça, colocação de novo carpete antichamas, que atende aos padrões dos Bombeiros, e reparação, em parte, da elétrica e hidráulica. Essas modificações complementam as que já foram realizadas para o mesmo fim – a obtenção do AVCB – na área que abrange o hall do Teatro, sanitários, cozinha de apoio e bombonière, já reformada na primeira e segunda etapas.

Também será instalada a plataforma hidráulica do fosso, que poderá ser utilizada em três níveis: para extensão do palco e plateia ou acomodar orquestra. Com 75 metros quadrados, o fosso do Teatro Dr. Losso Netto tem capacidade para 60 músicos (dependendo da formação). A título de comparação, o Teatro Bradesco, em São Paulo, tem um fosso de 59 metros quadrados. Um teatro com fosso permite a realização de musicais, balés e óperas com música ao vivo.

CONCLUÍDAS – Na primeira e segunda etapas, orçadas em aproximadamente R$ 850 mil, já foram feitas a reforma e restauro da fonte do Teatro, da calçada do acesso principal, pintura interna e da fachada, troca da iluminação do Hall, reforma e aumento de sanitários, inclusive com adaptação para pessoas com deficiência e ostomizadas, remodelação da bombonière do Hall e remodelação da cozinha de apoio a eventos. Para garantir a acessibilidade à Sala 1, foi instalado um elevador que conduz à plateia. Também foram concluídos dois camarotes, com 27 cadeiras.

Prefeito Barjas Negri autoriza abertura de licitação para reforma do Teatro Dr. Losso Netto

Prefeito Barjas Negri autoriza abertura de licitação para reforma do Teatro Dr. Losso Netto – Foto: Justino Lucente/CCS

REALIDADE FINANCEIRA – O edital de licitação para o Teatro, cancelado em janeiro pela Prefeitura, previa obras no valor de R$ 5,068 milhões. No entanto, havia no Orçamento 2017, R$ 760 mil, que foram reduzidos para R$ 228 mil com o contingenciamento de 70%.

Barjas ressaltou que “nos últimos dois anos, a Prefeitura gastou mais do que arrecadou. Por isso, no ano passado, quando surgiram os primeiros problemas técnicos e jurídicos nestes processos, os seus recursos foram remanejados para o pagamento de pessoal e custeio”.

Segundo dados da Prefeitura, no ano de 2015, foi arrecadado R$ 1,074 bilhão e suas despesas e transferências foram de R$ 1,147 bilhão, ou seja, gastou R$ 68 milhões a mais do que se arrecadou (+ 6,7%). Já no ano passado, aconteceu a mesma situação. A entrada de recursos foi de R$ 1,128 bilhão, e as despesas e transferências foram de R$ 1,184 bilhão. Gastou-se R$ 56 milhões a mais (+ 4,94%).

Somente com pessoal, no Orçamento de 2016, havia recursos da ordem de R$ 507, 5 milhões e gastou-se R$ 538,1 milhões. Ou seja, R$ 30,6 milhões (+ 6%) a mais do que estava previsto. Por isso, a gestão passada foi obrigada a remanejar recursos de obras para o pagamento de pessoal, e também de custeio.

No início deste ano, para equilibrar o Orçamento 2017, num momento de crise financeira intensa que atinge todo o país, o prefeito assinou o decreto 16.917/17, que contingencia recursos da ordem de R$ 65,3 milhões. Os percentuais são sobre investimentos (70% obras e equipamentos) e custeio (10%) de verbas passíveis de corte e de 50% em despesas como horas-extras, diárias e passagens.

Deixe um comentário abaixo