Prefeitura de Rio das Pedras paga R$ 10,5 milhões de dívidas de gestões passadas

Publicado em Por Hosana Cortenove
Prefeitura de Rio das Pedras paga R$ 10,5 milhões de dívidas de gestões passadas

Prefeitura de Rio das Pedras paga R$ 10,5 milhões de dívidas de gestões passadas – Foto: Divulgação

Não é novidade para ninguém que a Prefeitura de Rio das Pedras vive dias difíceis com a necessidade de pagar dívidas deixadas por gestões anteriores. Contudo, a maior parte da população não tem a dimensão do tamanho desse rombo deixado nos cofres públicos. Em apenas sete meses foram pagos R$ 10,5 milhões de dívidas. É o equivalente a R$ 1,5 milhão por mês.

Logo nos primeiros dias do ano surgiu a necessidade de quitar R$ 4,9 milhões em salários e férias atrasados referentes ao mês de dezembro de 2016. A atual administração negociou débitos com INSS (R$ 42 milhões), FGTS (R$ 1,7 milhão), precatórios (R$ 2,9 milhões), convênio com o Hospital e Maternidade São Vicente de Paulo (R$ 1,5 milhão), CPFL (R$ 428 mil), além de R$ 28 milhões em precatórios que estão judicializados para pagamento até 2020.

Em valores sequestrados por meio de ordens judiciais foram R$ 626 mil. Entre dívidas junto a fornecedores e salários o rombo deixado foi de R$ 12 milhões e a atual gestão já pagou 56% desse montante. Há 500 processos trabalhistas em andamento e essa dívida deve aumentar ainda mais.

Para piorar o quadro, no primeiro quadrimestre a receita caiu R$ 2,5 milhões e mesmo assim o Governo Municipal conseguiu economizar R$ 4 milhões em comparação ao mesmo período de 2016.

Para dimensionar o tamanho do prejuízo deixado para a população rio-pedrense, é possível comparar o que a Prefeitura poderia executar com os R$ 10,5 milhões pagos em dívidas. A administração está orçando a construção de uma creche/escola no valor de R$ 2 milhões. Portanto, seria possível construir cinco novas creches/escolas.

Outra obra muito cobrada pela população é o recapeamento da rua Wilson Cypriano, no bairro São Pedro. Para executar a instalação da rede de drenagem pluvial, recompor as camadas do pavimento e asfaltar, será preciso investir R$ 700 mil. Com o valor pago até o momento seria possível executar 16 obras iguais. Com esse valor seria possível recapear 40 quilômetros de ruas da cidade, mais da metade da malha viária do município.

Na saúde, um dos grandes problemas encontrados é o transporte de pacientes. Com R$ 10,5 milhões pagos em dívidas seria possível comprar 308 carros populares (Volkswagem Up!) ou 70 ambulâncias. Seria possível construir 52 UBS como a do bairro São Pedro.

Para alimentação, segundo o Dieese a cesta básica no Estado de São Paulo custa R$ 441. Com R$ 10,5 milhões a Prefeitura conseguiria comprar e distribuir 23.809 cestas básicas.

“A população tem todo o direito e o dever de cobrar a Prefeitura para que a cidade fique cada dia melhor. Mas gostaríamos que o os cidadãos entendessem o tamanho do problema que estamos enfrentando. A cada semana surgem novas dívidas, novas determinações judiciais que atrapalham nosso planejamento. Mesmo assim, acredito eu que estamos fazendo um bom governo, recuperando a credibilidade do município, buscando melhorias. Você já imaginou se pudéssemos construir cinco novas creches/escolas? 52 novas Unidades Básicas de Saúde? É mais do que a quantidade de bairros que a cidade tem. Estamos no caminho certo, tenho certeza de que ao final desses quatro anos de mandato teremos uma cidade boa de viver, conforme prometemos em nossa campanha”, destacou o prefeito Carlos Defavari.

Deixe um comentário abaixo