Prefeitura pede ajuda da população para combater a Dengue em Brotas

Publicado em Por Hosana Cortenove

Bairros Bela Vista e Santa Cecília tem focos em 90% das casas

 

A Vigilância Epidemiológica da Prefeitura de Brotas alerta que no trabalho que está sendo realizado nos bairros Bela Vista e Santa Cecília nesta semana, focos do mosquito da dengue estão sendo encontrados em 90% das casas.

A situação é considerada extremamente grave.

Se o atual panorama persistir, Brotas pode sofrer uma epidemia em pouco tempo. A situação piora pois muitos dos focos estão dentro das casas, sobretudo em aparadores de vasos de flores.

Outra dificuldade enfrentada pela equipe é que muitas casas estão fechadas. “Estamos divulgando o calendário nas rádios, jornais e na internet com uma semana de antecedência. É importante que as pessoas fiquem atentas e, se não forem ficar em casa, deixem a chave com um vizinho”, explica Jussara Susi, chefe do setor.

Lembrando que neste ano, além da dengue (que pode matar), o Brasil enfrentará um surto de chikungunya, doença que pode deformar e incapacitar a pessoa contaminada permanentemente.

Todo mundo já sabe o que fazer: vistorie os utensílios que possam acumular água; vede a caixa d’água; limpe as calhas regularmente; coloque o lixo no local correto; fale com seus vizinhos e peça para que eles façam o mesmo. Não custa nada! Se você ajudar, podemos evitar!

A Prefeitura de Brotas, por meio da Secretaria de Saúde e Vigilância Epidemiológica, dando continuidade as ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti em vários bairros da cidade com o trabalho de visita casa a casa (vistoria, orientação e eliminação de criadouros por meio mecânico), informa o cronograma no período de 3 a 6 de novembro de 2015, as equipes seguem em mutirão no bairro Bela Vista e Santa Cecília.

“Avise seus amigos e parentes que moram nos bairros visitados! Se for sair, deixe a chave com um vizinho! Recebam bem os agentes e ouçam suas orientações! faça sua parte! elimine os criadouros! Juntos podem vencer a dengue e a chikungunya!”, alerta a Vigilância Epidemiológica.

Deixe um comentário abaixo