Presidente Da Abrotur critica programação Turística em Brotas

Publicado em Por Hosana Cortenove

Os novos conselheiros do Comtur, através de um trabalho sério e dedicado, estão planejando vários eventos para movimentar a economia de Brotas, tais como:

  • 1º Festival Brotas Food Truck – setembro 2016; • Encontro de Motociclistas – novembro 2016; • Festival de Degustação de Vinhos – maio de 2017; • Festival da Cultura Caipira e de Encontro de Violeiros – junho de 2017 e • Encontro de Carros Antigos – julho 2017. O primeiro deles, programado para setembro de 2016, será constituído com vários veículos (trucks) especializados em lanches e refeições, em área pública ao ar livre e acompanhado com música boa. Este tipo de evento tem feito muito sucesso em várias cidades onde tem ocorrido (Analândia, São Pedro, Bauru, Jaú, São João da Boa Vista, Piracicaba, Rio Claro, etc…) . Alimentação de qualidade, preço baixo, bom ambiente e música.

No entanto, o presidente da Abrotur Rodrigo Saldanha, vem fazendo fortes críticas ao evento de “Food Trucks” que o Comtur está idealizando para Brotas.

Nos bastidores, Rodrigo Saldanha tem mobilizado sua liderança para que não tenha o evento dos “Food Trucks” dizendo que o mesmo não agrega valor para Brotas e que vai gastar dinheiro do Fumtur, ao passo que o evento Brotas Gourmet, que ele preside, não obteve recursos públicos.

Estes eventos com recursos do Fumtur não são escolhidos pelo prefeito e nem pela secretária de turismo. Quem os escolhe são os conselheiros do Comtur, através de exposições de ideias, debates e votações.

As críticas do presidente da Abrotur soam com muita incoerência por vários motivos. Ele liderou um movimento para que os membros da Abrotur saíssem do Comtur (Conselho Municipal de Turismo), e de fato saíram, portanto agora fica sem lógica ele se contrapor, nos bastidores, às decisões dos atuais conselheiros. Apesar da  Abrotur  ter abandonado o Conselho, o  atual  Comtur ainda ofereceu R$ 15.000,00 para a realização do evento Brotas Gourmet, que será em agosto de 2016, mas Rodrigo Saldanha dispensou a ajuda. O que se espera do presidente de uma associação de comerciantes e prestadores de serviços voltados ao turismo é justamente o contrário, ou seja, ele deveria ser o primeiro a defender eventos que movimentem a cidade no período da baixa temporada, afinal de contas a Abrotur é uma entidade criada para fortalecer o turismo de maneira geral.

Para esclarecer, o Fumtur (Fundo Municipal de Turismo) guarda os recursos obtidos com a taxa da Lei do Voucher, e onde será gasto é decisão exclusiva dos conselheiros do Comtur. O evento dos “Food Trucks”, debatido e aprovado por unanimidade na reunião de 20 de julho pp, terá total transparência, inclusive com um processo licitatório de chamamento para escolher quem vai vender e expor seus produtos, sendo que vários comerciantes de Brotas  poderão participar. Tal evento movimenta a cidade porque trás pessoas da região para consumir, sendo que muitos produtos das refeições e lanches são comprados nos supermercados e também movimenta os hotéis, restaurantes, agências, postos de gasolina, etc…  O evento dos “Food Trucks” deverá investir até R$ 15.000,00 dos recursos do Fumtur, justamente o dinheiro que foi oferecido ao Brotas Gourmet e não aceito. A questão é investir na economia da cidade porque dinheiro na gaveta não gera emprego. Atualmente o Fumtur tem um saldo de R$ 61.016,00 em caixa para aplicar na promoção da cidade.

Na verdade, a leitura que se faz desta posição do líder da Abrotur é que ele rejeitou a ajuda do Fumtur porque seu grupo foi contra a implantação da Lei do Voucher (os conselheiros da Abrotur votaram contra o voucher no Conselho anterior) ou, talvez, não queira outro evento gastronômico para concorrer com o Brotas Gourmet que a Abrotur organiza. Visão equivocada, pois o Brotas Gourmet já está consolidado e todo evento é importante para Brotas, sendo que os recursos da Lei do Voucher devem ser aplicados na movimentação econômica e fortalecimento geral do turismo, principalmente na baixa temporada.

Defender uma posição é um fato normal em uma democracia, mas o correto seria se o presidente da Abrotur fosse no atual Comtur e debatesse abertamente seus motivos  e não ficasse nos bastidores criticando eventos que podem ser bons para a cidade. No dia 15/07 pp, o presidente da Abrour foi convidado através de ofício para a reunião do Comtur do dia 20/07 pp, mas não compareceu. O Comtur é o órgão oficial, legítimo e democrático para analisar e debater todos os assuntos do turismo no município.

 

Deixe um comentário abaixo