Presidente do Conselho de Alimentação Escolar denuncia supostas irregularidades na Cozinha Piloto

Publicado em Por Jose Guilherme Cortenove
Presidente do Conselho de Alimentação Escolar denuncia supostas irregularidades na Cozinha Piloto

Presidente do Conselho de Alimentação Escolar denuncia supostas irregularidades na Cozinha Piloto – Foto: Contisa

Nesta segunda-feira, (27), segundo Nota divulgada pelo Conselho de Alimentação Escolar (CAE) de São Pedro, através da rede social “Facebook”, duas conselheiras do órgão, estiveram presentes na Cozinha Piloto, pertencente à Prefeitura de São Pedro, onde teriam constatado possíveis irregularidades, denunciadas pela presidente Lúcia Helena Fortunato.

O caso foi noticiado por veículos de comunicação da região, inclusive rede de televisão, após ser constatada a existência de alecrim, que estaria com data de validade expirada, além de ferrugem no fogão e ausência de proteção nos ralos e janelas, o que facilitaria a entrada de insetos.

De acordo com o CAE a estufa que armazena os pães servidos para os alunos estava fechado de forma improvisada com garfos, identificou o conselho.

“Diante das irregularidades constatadas, que configuram infração penal, conforme conduta descrita no artigo 7, inciso IX, da Lei 8137/1990, no que se refere aos alimentos com data de validade expirada, bem como os alimentos armazenados de maneira inadequada e a visível alteração da nutricionista responsável pelo local, que chegou a empurrar uma das conselheiras, foi necessário acionar a Polícia Militar”, destaca a nota.

A presidente do CAE destaca que já fez diversas visitas em escolas, que encontram situações que foram apenas objeto de informação, através de relatório.

“Este conselho já fez diversas visitas em escolas da rede municipal, sendo que nenhuma irregularidade foi constatada, apenas situações que são objeto de informação à Administração, através de relatório, para que as providências necessárias sejam tomadas, na forma da Lei”, esclareceu a nota do CAE.

Sobre a Cozinha Piloto, a nota divulgada pela prefeitura afirma que são “claras e contundentes violações à Portaria CVS 05/2013, da Vigilância Sanitária”.

“Foi acionada a vigilância sanitária para que se procedesse às autuações cabíveis, na forma da Lei e recolhimento do material para análise, bem como foi informado pelo coordenador da Vigilância Sanitária do município que na data de 28/11 seria feita inspeção minuciosa no local, sendo que serão solicitadas cópias dos documentos pertinentes acerca dessa ação; esclarecemos, ainda, que todas as providências cabíveis a este Conselho foram tomadas acerca dos fatos”, informa a nota.

Apesar das denúncias, a nota destaca que não há motivo para que as crianças não realizem as refeições dentro do ambiente escolar.

“Gostaríamos de tranquilizar a população tanto no que tange à validade dos produtos, quanto à segurança da alimentação oferecidas nas escolas. Não há motivo para que as crianças não realizem as refeições dentro do ambiente escolar. Acreditem, também temos filhos em instituições de ensino no município! Caso haja motivo para tal conduta, vocês serão avisados! Estamos trabalhando com afinco para que nossas crianças tenham a melhor alimentação possível! Contamos com a colaboração de todos!”, destaca outros trechos da nota.

Também através de rede social, a Secretaria Municipal de Educação publicou uma Nota de Esclarecimento, onde destaca que a merenda escolar é tratada  com prioridade e responsabilidade e que são usados produtos de qualidade comprovada.

“A Merenda Escolar é tratada com prioridade e responsabilidade pela administração municipal. A qualidade das 21 mil refeições servidas diariamente motiva muitas avaliações positivas feitas por pais de alunos e também atraiu representantes de outros municípios, que fizeram visitas à Cozinha Piloto com o objetivo de implementar em seus municípios sistema semelhante ao realizado em São Pedro. Para produzir as refeições servidas diariamente são usados produtos de qualidade comprovada, como os fornecidos por produtores da agricultura familiar e outros fornecedores do município pelos serviços prestados, como reconheceu a própria pessoa responsável pela fiscalização, que destacou ainda o empenho dos funcionários da Cozinha Piloto no preparo das refeições”, destacou a nota.

Segundo a Secretaria “Os cardápios elaborados levam em conta as necessidades nutricionais de cada fase escolar e contêm grande quantidade de alimentos frescos, sempre com estímulos para que a alimentação saudável torne-se um hábito cada vez mais presente no cotidiano dos estudantes. A Secretaria de Educação lamenta que o assunto tenha tomado o rumo da delegacia. As situações pontuais poderiam ser esclarecidas e resolvidas de maneira bem mais simples, inclusive junto ao próprio Conselho de Alimentação Escolar, da qual a denunciante faz parte, com o objetivo de garantir aos estudantes uma alimentação de qualidade, o que é o principal objetivo da administração pública municipal.Com este esclarecimento, a Secretaria de Educação quer garantir aos pais a tranqüilidade em relação aos alimentos fornecidos na rede pública municipal e colocar-se à disposição para quaisquer esclarecimentos”, concluiu a Nota.

Deixe um comentário abaixo