Recursos do FUNDEB repassados a Brotas são insuficientes para pagar o salário dos professores

Publicado em Por Hosana Cortenove

Município é obrigado a completar diferença

 

 

Outro fator de preocupação em todos os municípios do Brasil, além da atual crise econômica e política que o Pais enfrenta é a redução dos repasses do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação). Enquanto a inflação está acima dos 10%, o fundo recebeu uma correção de apenas 5,89% para o ano de 2016. Em Brotas, a situação é bastante delicada.

Atualmente, o valor recebido pela cidade, que deveria ser suficiente para pagar os salários dos professores (60% da verba) e fazer investimentos no setor (40%), hoje quita apenas 81% dos vencimentos dos educadores. Os outros 19% são complementados pelos cofres da Prefeitura.

O prefeito de Brotas, Orlando Pereira Barreto Neto, conhecido como Du Barreto (PSDB), explica melhor a situação.
“Em abril de 2016, por exemplo, a receita do Fundeb foi R$ 698.768,45. Os salários dos professores, R$ 856.437,80, uma diferença de R$ 157.669,35. Simplesmente, o Governo Federal não está cumprindo sua parte na ‘Pátria Educadora’. Temos que tirar de outros setores porque, quem deveria, não faz seu papel. A situação é gravíssima e só podemos torcer para que não piore. A Prefeitura, como qualquer empresa, tem um limite e Brotas já ultrapassou o seu. Só com muito trabalho e união para manter a casa em ordem. Vamos pagar todas as dívidas, vamos entregar uma cidade em ordem, como município daremos ao Brasil um exemplo. Não é a primeira vez que Brotas faz isso sei que não será diferente desta vez”, afirmou Barreto.

Deixe um comentário abaixo