Segundo pesquisa mês de agosto tem variação positiva de 1,69% aponta ICV-Piracicaba

Publicado em Por Adelle Gebara

O ICV-P (Índice de Confiança no Varejo de Piracicaba) correspondente a agosto subiu 1,69% na comparação com o mês anterior (julho), passando de 100,27 pontos para 101,96. Na decomposição do índice, o ICF (Índice de Confiança Futura) acompanhou a tendência de crescimento do índice geral, apresentando alta de 5,09% e o ICA (Índice de Confiança Atual) demonstrou equilíbrio, variando positivamente em 0,05%. O levantamento é realizado pela Ejea/Esalq (Empresa Junior de Economia e Administração), em parceria com a Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba).

Segmentos: A análise segmentada por setores apresentou os seguintes desempenhos nos índices gerais: 7,36% (Habitação), 2,10% (Alimentação), -1,96% (Vestuário) e -7,91% (Higiene e Cuidados Pessoais).

“Segundo pesquisa mês de agosto tem variação positiva de 1,69% aponta ICV-Piracicaba” – Foto: Divulgação

“Nota-se uma proporção entre os segmentos da economia. Enquanto os índices gerais de Habitação e de Alimentação demonstraram altas, os índices de Vestuário e Higiene e Cuidados Pessoais demonstraram baixas, proporcionalmente às altas dos outros dois. Isso tem como resultado uma pequena variação positiva no índice geral da economia de Piracicaba”, explica o coordenador do Ejea, Matheus Maia.

Para o presidente da Acipi, Paulo Roberto Checoli, as altas dos segmentos que apresentaram crescimento podem estar relacionadas ao comportamento da inflação. “No último mês, por conta da safra recorde, o grupo dos alimentos foi o componente que mais contribuiu para que o IPCA continuasse caindo, influenciando os preços dos alimentos para consumo em casa. Isso, aliado a uma recuperação do poder aquisitivo dos salários, decorrente da desaceleração da inflação, pode ter criado um ambiente mais otimista para as empresas ligadas ao segmento da Alimentação, influenciado a opinião dos empresários”, comenta o presidente, que acrescenta: “as vendas dos supermercados, em nível nacional, por exemplo, apresentaram leve alta na última Pesquisa Mensal de Mercado (PMC/IBGE)”.

Sobre o segmento da Habitação, Checoli avalia que uma melhora na economia nacional pode ter irradiado uma melhora localmente, influenciando as opiniões dos varejistas consultados: “segundo a última PMC, as vendas de itens de maior valor, como as de material de construção, que na comparação com julho de 2016 tiveram um avanço de 11%, começaram a reagir por conta da melhora das condições de crédito e renda das famílias, e, também, pela retomada das contratações”.

ICV-P: O indicador tem o objetivo de divulgar aos empresários, setor público e sociedade as expectativas dos lojistas em relação à economia regional, ao segmento em que atuam e às suas próprias empresas. O cálculo do índice passou por mudanças em sua metodologia e, para uma análise mais elaborada sobre o setor varejista de Piracicaba, a pesquisa passou a apurar de maneira geral e segmentada as expectativas dos empresários.

Deixe um comentário abaixo