Sesc Piracicaba realiza bate-papo e passeio fotográfico com o fotojornalista Pauléo

Publicado em Por Diagramador

“Sesc Piracicaba realiza bate-papo e passeio fotográfico com o fotojornalista Pauléo” – Foto: Divulgação

Como programação complementar da exposição O Poder de Parar o Tempo – O Fotojornalismo de Pauléo”, o Sesc Piracicaba realiza duas atividades com o fotojornalista piracicabano Pauléo, autor das imagens expostas nas paredes da unidade local até o final do mês. Nos dias 9 e 16/12 acontece o Passeio Fotográfico pela Rua do Porto com a orientação do fotógrafo, que tem 36 anos de fotojornalismo e acompanhou as mudanças pelas quais Piracicaba passou nessas décadas. A participação no passeio é gratuita com saída do Hall de Entrada do Sesc às 9h30 e cada participante deve levar seu celular ou câmera para fotografar.
Para o dia 15/12, o bate-papo “A História por detrás da foto” reúne Pauléo e a jornalista Eleni Destro, que foi curadora da exposição “O Poder de Parar o Tempo…”. No encontro, que começa às 19h30, o fotógrafo relembra como foi o início de sua carreira e conta curiosidades que o acompanharam ao longo dos anos seus registros fotográficos e Eleni fala sobre o processo curatorial da exposição. A participação é gratuita.

Sobre “O Poder de Parar o Tempo” – O Fotojornalismo de Pauléo” – Disponível para visitação até 30 de dezembro, a exposição traz imagens captadas durante seus 36 anos de fotojornalista piracicabano. As fotografias retratam personagens e as mudanças pelas quais Piracica
ba passou nessas mais de três décadas. Além de registros de lugares como a Prefeitura e a Rua do Porto, o fotógrafo cobriu tragédias, como a seca e a poluição do rio Piracicaba; fez imagens que lhe deram reconhecimento nacional e, entre suas fotos está a icônica imagem do líder sindical e ambientalista Chico Mendes, com olhar desconfiado para a arma de um policial que fazia sua segurança em sua vinda a Piracicaba, para uma palestra. Na época, Chico Mendes sofria ameaças de morte pela sua luta em Xapuri, no Acre. Orientado pelo então repórter Mário Evangelista, que faria entrevista com o líder, Pauléo fez o registro que mais pareceu um presságio: uma semana depois, Chico Mendes seria assassinado com uma arma de fogo em sua casa. Pauléo ainda faz fotos de pessoas, paisagens e situações, agora como hobby. “Fotografar é como parar o tempo. Os anos podem se passar, mas aquela imagem continua ali, imortalizada”, garante.

Deixe um comentário abaixo