Taxa do Lixo arrecadou menos que o previsto em Brotas

Publicado em Por Hosana Cortenove

Para quem não sabe, a situação do Aterro Sanitário da Prefeitura de Brotas é muito correta, ambientalmente falando. Lá são depositadas 6.260 toneladas de resíduos sólidos por ano, uma média de 20 toneladas durante seis dias da semana. Todo esse material é enterrado em valas duas vezes por dia, o que garante mais espaço.

Mas, mesmo com o uso inteligente da área, o aterro sanitário ficou pequeno depois de tantos anos (ele foi instalado em 1995, no primeiro governo do prefeito Orlando Pereira Barreto Net, o Du Barreto (PSDB).

Antes existia um lixão a céu aberto). Dentro de pouco tempo, aquela área receberá o tratamento que merece, ganhando vegetação nativa para que se recupere e volte a fazer parte da paisagem verde da cidade.

Para resolver o problema de saturação (falta de espaço) do aterro, a única solução era comprar nova área e garantir a destinação correta dos resíduos orgânicos produzidos pela população de Brotas. Assim, a Prefeitura corrigiu em 2015 o valor da “Taxa do Lixo”, como determina o Código Tributário Municipal, adicionando-se ao custo da coleta de lixo de 2014 (R$ 967.434,59) o custo dos investimentos para 2015 (R$ 550 mil), totalizando R$ 1.517.434,59 o lançamento da taxa anual a ser dividida pelos contribuintes.

Dos investimentos a serem feitos foi previsto gastar-se R$ 300 mil para compra de nova área e R$ 250 mil para veículo.

Apesar da arrecadação da taxa do lixo em 2015 ter sido menor que a prevista, o Governo Municipal vai utilizar recursos financeiros de outros setores, com muito sacrifício, devido a grave crise financeira que a prefeitura passa, para cumprir o planejado de se adquirir nova área de terra e veículo.

O valor previsto para ser arrecadado na cidade era de R$ 1.517.434,59 e o total arrecadado foi de R$ 1.271.251,49. Houve uma diferença negativa de R$ 246.183,10. Arrecadou a menos devido a inadimplência.

Mesmo assim foram feitos investimentos, como o ato de desapropriação de uma área de 12,1 hectares por R$ 336.029,81 e está sendo licitado um caminhão basculante por aproximadamente R$ 230 mil, um total de R$ 566.029,81. O problema é que entre o valor previsto (lançado R$ 1.517.434,59) e o arrecadado (1.271.251,49) houve um saldo negativo, e, portanto para conseguir fazer o gasto dos investimentos de R$ 566.029,81, a Prefeitura terá que tirar de outros setores o valor de R$ 262.212,91 pois o saneamento é prioridade humana e ambiental.

“Saneamento é prioridade, pois cuida da saúde humana e preservação do meio ambiente. Mesmo com sacrifício pela falta total de recursos, Brotas pode ter certeza que estamos no caminho certo. Nosso município foi um dos pioneiros em aterro sanitário e, na sequência, utilizará mantas impermeáveis com aterros trincheiras, outra inovação que poucos municípios possuem. Tudo isso é saúde para nós e as futuras gerações, algo que não se pode por um preço. São obras ‘escondidas’ que o senso comum do cotidiano não valoriza, mas tem que ser feitas”, afirma o prefeito Du Barreto.

Para 2016 a taxa de lixo não terá aumento e nem o repasse da inflação em relação ao ano anterior, mas novos investimentos continuarão a ser feitos.

 

Deixe um comentário abaixo