Câmara acompanha assinatura da gestão do Hospital Regional

Publicado em Por Diagramador

Comitiva com 11 vereadores de Piracicaba acompanhou, na tarde da última sexta-feira (24), a solenidade para assinatura do convênio para gestão do Hospital Regional. O evento ocorreu no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista, e contou com a presença do governador Geraldo Alckmin (PSDB), do secretário estadual de Saúde, David Uip; do reitor da Unicamp, Marcelo Knobel; e o prefeito Barjas Negri.

Depois de seis anos, desde que foi lançada a pedra fundamental do Hospital, a assinatura marca a transferência da responsabilidade sobre o em preendimento para a Unicamp, que ficará responsável pela administração da estrutura com capacidade para 138 leitos, dos quais 84 de internação, 20 de UTI adulto, 27 de cuidados mínimos, sete de Hospital-Dia, além de 10 salas cirúrgicas e o centro de diagnóstico por imagem.

“A Unicamp já tem ampla experiência na administração de hospitais, como o Hospital Regional de Sumaré. Temos uma equipe bem organizada e bem montada para, quando tiver o repasse (do Governo do Estado), iniciarmos a contratação de profissionais e planejar o funcionamento do Hospital”, explica Knobel, reitor da Unicamp. “A gente tem a maior disposição em fazer o hospital funcionar a pleno vapor”, disse.

Previsto para começar a funcionar em março de 2018, inicialmente serão 60 leitos, divididos entre 30 cirúrgicos, 20 clínicos e 10 de UTI adulto, além de quatro salas cirúrgicas e os atendimentos ambulatoriais. A expectativa é que, já no primeiro ano de atuação, o Hospital Regional realize 18,6 mil consultas médicas e não-médicas, 11,7 mil exames, 3,3 mil cirurgias e duas mil internações.

A gestão do Hospital Regional será realizado com recursos do Governo de São Paulo, os quais, segundo a assessoria da Secretaria Estadual de Saúde, já são R$ 32 milhões, considerando verba empregada em obras e destinadas à compra de equipamentos e mobiliário, já em fase de aquisição. Para o ano que vem, o governo paulista já tem previsto R$ 35,8 milhões para custeio, no primeiro ano de funcionamento.

Ao anunciar o Hospital Regional, o governador Geraldo Alckmin explicou que “o Hospital é público”, já que 100% dos leitos serão destinados ao SUS, mas a gestão feita por uma entidade do terceiro setor é uma inovação criada nos 1990, de quando ele era deputado federal. “Por conta do novo estatuto do funcionalismo, ficou inviável a gestão feita pelo Governo, então tivemos que inovar”, declarou Alckmin.

Ele explicou que o modelo de gestão do Hospital Regional de Piracicaba segue o que foi realizado para atender, na época, uma necessidade do Hospital Sarah Kubitschek, referência em traumatologia no mundo. “Tivemos que inovar. Diziam que iríamos privatizar, mas não é verdade. O gerenciamento não precisa ser estatal”, disse. Como parlamentar, Alckmin foi o relator do projeto de lei que estabeleceu novas regras para gestão hospitalar.

“Câmara acompanha assinatura da gestão do Hospital Regional” – Foto: Fabrice Desmonts

Para o secretário estadual da Saúde, Davi Uip, a Unicamp oferece todas as condições para a gestão do Hospital Regional. “Esse convênio assegura qualidade e a experiência da universidade para a gestão do Hospital”, disse, ao destacar que o contrato tem vigência inicial de cinco anos, com possibilidade de renovação.

O prefeito Barjas Negri enalteceu o trabalho da Câmara de Vereadores de Piracicaba. “Hoje é um dia de festa e alegria, porque se concretiza a conquista do Hospital, realização em que muita gente participou, em especial os vereadores, porque foram os que aprovaram o orçamento para que a Prefeitura pudesse fazer a licitação e o convênio com o Estado e que, finalmente, a gente conseguisse concluir o hospital”, disse.

“Essa criança não tem um pai, é um trabalho feito com muitas mãos, muitas pessoas que se empenharam”, disse o deputado estadual Roberto Morais (PPS), da base do Governo do Estado de São Paulo. Ele avalia que a assinatura do convênio é um passo importante para o início do trabalho do Hospital. “Esperamos que, dentro de 90 dias, o hospital esteja atendendo e, assim, minimize o problema da saúde na cidade”, disse.

A comitiva da Câmara de Vereadores de Piracicaba foi formada por 11 vereadores, que destacaram o trabalho do Legislativo para atender uma demanda da população, que almeja e cobra o funcionamento do Hospital Regional. “Os vereadores trabalharam incessantemente, quando falam na tribuna, quando cobram, nós somos o reflexo do que a comunidade quer”, disse a vereadora Adriana Sgrigneiro, a Coronel Adriana (PPS).

“A assinatura deste contrato significa o olhar lá na frente, de que, finalmente, o Hospital Regional vai funcionar e atender uma vontade geral, e assim a gente consiga dar vazão a todos aquelas pessoas que precisem de internação e acabam ficando esperando nas UPAs (unidades de pronto-atendimento”, disse Coronel Adriana.

O vereador Dirceu Alves destacou o que definiu como “fim de uma novela, que começou em 2011”. “É um momento muito esperado, já que vem se arrastando até o dia de hoje, por isso é muito significante para Piracicaba”, disse o parlamentar. “Não fosse aprovado pela Câmara, o prefeito não teria condições de fazer essa obra, lembrando que essa construção foi tirada do orçamento de Piracicaba”, destacou.

“É fundamental para Piracicaba ter novos leitos e novas opções de atendimento. Um hospital regional vai ser a menina dos olhos da cidade, onde nós vamos quase que eliminar a falta de leitos e também trabalhar para que o município seja referência também na saúde”, disse Osvaldo Schiavolin, o Tozão (PSDB). “O trabalho não começou com nós, mas no mandato anterior, estamos agora tendo a honras de receber este convênio”, disse.

O vereador José Aparecido Longatto destacou o motivo de “grande satisfação” por participar da assinatura do convênio para gestão do Hospital Regional. “Piracicaba e a região ganham com isso, principalmente na saúde, que passa no País por um momento de grande dificuldade”, disse. De acordo com o parlamentar, a implantação do empreendimento só tem a trazer “uma visão de engrandecimento e melhoria”. Ele lembrou, ainda, a importância para a rede municipal de atendimento. “Teremos ali mais de duas mil cirurgias ao mês, o que vai desafogar os pronto-socorros, principalmente no quesito UTI”, enfatizou.

Para Marcos Abdala (PRB), o momento é importante para a cidade e região. “A assinatura do convênio com a Unicamp vai atingir em cheio a reta final para que se inaugure logo este hospital, que vai atender dezenas de cidades, mas Piracicaba principalmente, também será beneficiada”, disse o parlamentar. “A luta da Câmara, desde o momento que assumimos, era num único foco: o de tirar os problemas que estavam travando a instalação do Hospital Regional e, por isso, esse passa a ser um momento de vitória”, destacou.

O vereador Pedro Kawai (PSDB) avaliou a assinatura do contrato de gestão como a “realização de um sonho”. “Que, agora, fica ainda mais próximo e passa a ser realidade, e faz com que Piracicaba dê um passo gigantesco para o bom atendimento não só da cidade, mas de toda a região”, disse. “A Câmara tem um papel importante na aprovação das leis e orçamento, então a Câmara participa ativamente deste momento, prova disso é que alguns recursos que seriam da Câmara agora serão disponibilizados para a saúde da cidade”, disse.

“Pra mim, é uma importância muito grande estar na Câmara, por conta da união dos 23 vereadores para acompanhar o trabalho do prefeito Barjas desde o início e, agora, quem está ganhando é a região, principalmente com a Unicamp assumindo este hospital”, disse o vereador Aldisa Marques, o Paraná (PPS).

De acordo com o vereador André Bandeira (PSDB), a assinatura do convênio dá um direcionamento para o funcionamento do Hospital Regional. “A ansiedade da população é a minha ansiedade também, creio que essa espera da cidade e da região termine com esse encaminhamento”, disse. “É importante ressaltar a participação de todos os vereadores em fazer as coisas acontecerem. Muitas vezes as pessoas se lembram somente do Executivo, mas acabamos de ter o aumento do teto do repasse federal que foi uma ação da Câmara”, ressaltou.

“Em seis anos, a Câmara vem cobrando de forma veemente a conclusão das obras e o efetivo funcionamento que atenderá Piracicaba e mais 26 municípios ao redor”, disse o vereador Paulo Campos. “Não tenho dúvidas, até no início do ano estará funcionando o Hospital Regional. As obras já estão concluídas, faltam apenas os equipamentos para que possa estar em pleno funcionamento”, ressaltou o parlamentar.

O vereador Wagner Oliveira (PHS) classificou “como um dia especial”, por representar o atendimento do clamor da sociedade piracicabana. “Até por conta do que estamos passando nos últimos meses. Com o início do hospital, vai desafogar as demandas das UPAs e só quem tem a ganhar com isso são os piracicabanos”, disse.

“Este momento é muito importante para Piracicaba, é uma conquista que a população estava querendo há décadas, e, embora regional, o hospital é de Piracicaba, construído pela Prefeitura”, destaca o vereador Gilmar Rotta (PMDB). “Todas as pessoas que trabalharam para que isso se tornasse realidade estão de parabéns e, principalmente, os nossos moradores”, enfatizou o parlamentar.

 

Texto:  Erich Vallim Vicente

Deixe um comentário abaixo