“Casa Fresquinha”? Sim é Possível, na Bioconstrução!

Publicado em Por Jose Guilherme Cortenove

Março é conhecido como o mês que fecha o verão, e também conhecido como época de muito calor, e de chuvas no final do dia.

Em nossa rotina diária lidamos com o calor, e diretamente, com a sensação térmica através das nossas escolhas. E isso reflete inclusive na escolha para qual material, minha casa deveria ser construída?!  E qual é a relação – ligação da Bioarquitetura com tudo isso? Como podemos mostrar os benefícios de um BioProjeto?

Não tem argumento mais convincente para quem desacreditada deste tipo de Construção Natural ,como mostrar que é possível como a Bioarquitetura/ Bioconstrução :ter uma “casa fresquinha” , que opera  diretamente com a sensação térmica. Para ter uma noção de temperatura, uma construção que utiliza materiais  convencionais como: tijolo , concreto, aço, ferro, cimento, vidro, revestimentos, tintas, etc., variam a temperatura de acordo com 17°- 34° ao longo do dia , enquanto isso, em contrapartida, a  Bioconstrução com Técnicas Construtivas que trabalha como materiais naturais,  no caso: TERRA , sua temperatura varia de acordo entre  22°- 28° C (a construção “respira”), por isso que a escolha do material esta diretamente  ligado entre  : “passar ou não calor, e gastar para compensar isso com o ar-condicionado,  até a economia de energia, que é a Bioconstrução.

A terra, na Bioaqruitetura/ Bioconstrução esta unida com o clima, sensação térmica, saúde, economia, energia. Por suas paredes de barro,  que absorvem rapidamente a umidade, e por  serem mais largas, o calor demora para entrar, e depois demora para sair  ao longo do dia , e isto acaba criando um equilíbrio (micro clima) de temperatura para o ambiente.

É o material mais recomendado, para uma construção com boa sensação térmica, questões de fatores climático (a possibilidade de lugares chuvosos é mais complicado , porem é possível a construção, lembrando sempre : manter uma proteção nas paredes (reboco e tinta natural, ) , uma proteção como uma boa base impermeabilizada, que pode ser de pedra, pode ser de concreto, sempre impermeabilizada,  e beiral largo, já soluciona questão problema de  água na construção. A  terra não responde muito bem a água parada na construção. Materiais porosos tem a capacidade de absorver e devolver umidade ao ambiente . Pesquisas apontam que o tijolo de barro, mais conhecido como ADOBE, absorve mais de 50 vezes a umidade em relação aos tijolos maciços cozidos.

Outro fator muito importante para uma construção saudável com conforto térmico, são as diretrizes Bioclimáticas, como:  orientação solar. Saber onde esta o Norte vai determinar a maioria das diretrizes de Bioprojeto. Saber que na fachada Sul, é uma parede que vai receber uma menor quantidade de Sol, então será um ambiente da casa mais gelado, como vou solucionar naturalmente esta questão? Trabalhar com Carta Solar, para saber como vai se comportar seu Bioprojeto em relação ao meses e estações do ano. Os ventos predominantes da região, também são ligados à sensação térmica.

Optar por diretrizes Bioclimáticas e Técnicas construtivas Naturais , e trabalhar com materiais  naturais o máximo possível  na construção ,é tornar seu Bioprojeto Saudável e Acessível!

 

 

Karol Bombini – Telefone: (19) 3481-11 34

Arquiteta e Urbanista CAU: A82559-0

Deixe um comentário abaixo