Índice de Confiança do Consumidor volta a cair, mas ainda aponta otimismo do Piracicabano

Publicado em Por Jose Guilherme Cortenove
Índice de Confiança do Consumidor volta a cair, mas ainda aponta otimismo do Piracicabano

Índice de Confiança do Consumidor volta a cair, mas ainda aponta otimismo do Piracicabano

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), apurado mensalmente pelo Sindicato do Comércio Varejista de Piracicaba (Sincomércio Piracicaba), voltou a recuar em outubro (- 2,4%) na comparação com setembro, mas ainda se manteve dentro do patamar de otimismo, com 103,2 pontos. A escala de pontuação varia de zero (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total).

De acordo com o presidente do Sincomércio Piracicaba, Itacir Nozella, o resultado demonstra que os piracicabanos estão mais animados com a retomada atual da economia, mesmo que tímida, mas ainda se preocupam com o que acontecerá nos próximos meses.

Isso porque, segundo análise da assessoria econômica da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), os dois indicadores que compõem o ICC apresentaram movimentos distintos.

O Índice das Condições Econômicas Atuais (ICEA) teve forte alta pelo segundo mês consecutivo, refletindo a recuperação da economia brasileira, crescimento do PIB (produto interno bruto) no segundo trimestre, inflação abaixo de 3%, taxa básica de juros em queda, leve recuo do desemprego, exportação recorde, crescimento forte no agronegócio – conjunto de fatores positivos que afetam a confiança do consumidor.

Já o Índice de Expectativas do Consumidor (IEC) caiu, o que deve ter sido motivado pelo ambiente político ainda um pouco conturbado e que pode comprometer a aprovação das reformas.

O ICEA registrou expressiva elevação de 23,4%, ao passar de 63,9 pontos em setembro para 78,9 pontos em outubro. Por outro lado, O IEC, recuou 10,7%, indo de 133,8 em setembro para 119,5 pontos neste mês.

O ICC é apurado mensalmente pelo Sindicato do Comércio Varejista de Piracicaba (Sincomércio Piracicaba) desde fevereiro de 2017. Os dados são coletados com 601 consumidores no município. O objetivo é identificar o sentimento dos consumidores levando em conta suas condições econômicas atuais e suas expectativas quanto à situação econômica futura.

Deixe um comentário abaixo