Índice de Confiança no Varejo de Piracicaba fecha o mês de novembro com saldo positivo

Publicado em Por Diagramador

O ICV-P (Índice de Confiança no Varejo de Piracicaba) correspondente ao mês de outubro registrou variação positiva de 3,53%, passando de 105,75 para 109,48 pontos, em comparação a setembro. Este é o terceiro mês consecutivo de alta do percentual. O levantamento é realizado pela Ejea/Esalq-USP (Empresa Júnior de Economia e Administração), em parceria com a Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba).

“Índice de Confiança no Varejo de Piracicaba fecha o mês de novembro com saldo positivo” – Foto: Divulgação

Seguindo a tendência positiva para o mês, o ICV-P Atual (Índice de Confiança Atual), que mede a confiança dos varejistas em relação à economia e às vendas no mês, registrou um aumento de 6,78% no período, subindo de 105,75 em setembro para 109,48 em outubro. O ICV-P Futuro (Índice de Confiança Futura), também apontou alta de 3,27% na análise, passando de 105,93 em setembro para 109,20 em outubro.

O ICV-P visa divulgar aos empresários, setor público e sociedade as expectativas dos lojistas em relação à economia regional, ao segmento em que atuam e às suas próprias empresas. O cálculo do índice passou por mudanças em sua metodologia e, para uma análise mais elaborada sobre o setor varejista de Piracicaba, a pesquisa passou a apurar de maneira geral e segmentada as expectativas dos empresários.

O setor com maior destaque na análise correspondente a outubro é vestuário, cujo índice geral apresentou um aumento de 7,74%, quando comparado ao mês anterior. Em alimentação, o índice geral também apresentou aumento, de 1,24%. Outro segmento com índice positivo neste período foi habitação, que subiu em 2,76%. Na contramão, o índice geral de higiene e cuidados pessoais teve variação negativa de 3,11%.

Para o presidente da Acipi, Paulo Roberto Checoli, os índices indicam sinais de recuperação, apesar de ainda haver indícios de uma economia, em âmbito nacional, instável. “Embora ainda tenhamos dificuldade econômica no país, fatores como queda da inflação e juros mais baixos contribuem para um “respiro”. Esta recuperação, mesmo que tímida, inspira otimismo para o consumo e isso é fundamental para que haja giro na economia. Entramos agora em um período essencial para as vendas, com foco no Natal. Esses índices positivos são importantes porque podem refletir na confiança de quem vai comprar no comércio e buscar serviços”, falou Checoli.

A coordenadora, responsável no Ejea/Esalq–USP”, Milena La Rubia disse: “Com a melhora da empregabilidade neste segundo semestre, o consumidor tende a consumir mais. E isso já refletiu no comércio local, onde houve crescimento nas vendas de três setores pesquisados: habitação, alimentação e vestuário”, afirmou a coordenadora.

Matéria: Adelle Gebara/Jornal O Regional

Deixe um comentário abaixo