Santa Casa Piracicaba registra um dos menores índices de infecção hospitalar do país

Publicado em Por Jose Guilherme Cortenove

Enquanto a maioria dos hospitais brasileiros mantém taxas de infecção hospitalar que variam de 4,1% a 13,2%, a Santa Casa de Piracicaba encerrou o último semestre registrando 1,69% em seu índice de infecção hospitalar.

Segundo o infectologista Hamilton Bonilha de Moraes, coordenador do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) da Instituição, a drástica redução desse indicador deve-se à qualificação profissional e à maior conscientização das equipes multidisciplinares, que mantém constante o aprimoramento dos processos para controle de produtos químicos, elaboração de normas e rotinas, investigação epidemiológica, reuniões periódicas e visitas diárias em todas as unidades de internação do hospital. “Tudo com a participação de todas as áreas do ambiente hospitalar e apoio irrestrito da mesa diretora e administrativa da Instituição”, disse Bonilha.

Ele revela que, historicamente, as infecções estavam relacionadas, principalmente, às precárias condições de higiene. “Hoje, sabemos que há condições multifatoriais para a  infecção se instalar”, disse Bonilha, revelando que o maior desafio dos grandes hospitais com relação à infecção hospitalar está na resistência antimicrobiana, que já se apresenta como um sério problema de saúde pública mundial. “Para minimizar esses efeitos, o SCIH da Santa Casa cumpre rigorosamente as rotinas elaboradas e mantém o uso direcionado de antibióticos conforme orientação do SCIH”, disse o infectologista.

Segundo ele, o balanço do trabalho desenvolvido ao longo de 2017 e início de 2018 pela CCIH (Comissão de Controle de Infecção Hospitalar da Santa Casa) revelou que os workshop, os trabalhos científicos e as campanhas internas desenvolvidas no ambiente hospitalar foram essenciais para que a Instituição iniciasse o ano, registrando melhora nos indicadores de IH (Infecção Hospitalar).

A enfermeira Liliana Coelho, da CCIH, lembra que o principal objetivo da Comissão é manter a capacitação permanente de todos os profissionais que trabalham direta ou indiretamente com o paciente, processo efetivado através de literaturas atualizadas e aulas para aprimorar constantemente a prática de atendimento ao cliente. “Trabalhamos para prevenir e combater a infecção hospitalar nas dependências da Santa Casa beneficiando, assim, toda a comunidade hospitalar”.

A CCIH mantém ainda arquivos de todos os documentos que comprovam a legalidade de sua existência, as rotinas de funcionalidade, os protocolos que orientam tratamentos e, sobretudo, dados estatísticos que apontam os baixos índices de infecção hospitalar registrados pela Instituição.

Deixe um comentário abaixo