Secretaria de Saúde realiza capacitação para diagnóstico precoce da Hanseníase

Publicado em Por Diagramador

Na sexta-feira, dia 27, aconteceu na Faculdade Anhanguera, encontro de capacitação e orientação sobre a Campanha “O mundo sem Hanseníases”, realizado com os enfermeiros da rede municipal de saúde  e coordenadores das escolas de enfermagem, para instrumentalizar esses profissionais da saúde nas buscas ativas de novos casos e estejam atentos às demandas espontânea e nas visitas de agentes de saúde em suas áreas de atuação.

Hanseníase é uma doença cutânea, mas que pode afetar também os olhos, os nervos periféricos e, eventualmente, outros órgãos. Vale lembrar que ela tem cura e o tratamento é gratuito no serviço especializado, oferecido na rede pública pelo Centro de doenças Infectocontagiosas (Cedic).

“Secretaria de Saúde realiza capacitação para diagnóstico precoce da Hanseníase” – Foto: Divulgação

A campanha, organizada pela Secretaria de Saúde, é voltada para divulgação de Sinais e Sintomas da hanseníase, reafirmando que é preciso lembrar que a doença existe e que o sistema de saúde do município deve se mobilizar e mobilizar  população sobre a necessidade de identificar precocemente novos casos da doença.

O objetivo, portanto, é reforçar a importância do diagnóstico na fase inicial da doença, o que possibilita o tratamento oportuno e a cura, visando eliminar fontes de infecção, além de reduzir ou minimizar os agravos causados pelas incapacidades físicas resultantes dos diagnósticos tardios.

O homem é a única fonte de infecção, a transmissão se dá através de uma pessoa doente (forma infectante MB) sem tratamento, através da respiração, por convívio prolongado.

Os sinais e sintomas são:  presença de lesões pálidas ou com tonalidade avermelhada na pele, geralmente sem forma regular e com limites imprecisos; perda de pelos e ausência da transpiração nos locais das lesões; e insensibilidade ou dormência na área das lesões, bem como perda da força muscular.

Na presença de algum desses sinais e sintomas, é necessário procurar o serviço de saúde.

Deixe um comentário abaixo