Vanderley Canela apresenta PL proibindo uso de “Cerol” em Rio das Pedras

Publicado em Por Diagramador

O vereador Vanderley Canela, apresentou durante a sessão ordinária da Câmara Municipal de Rio das Pedras, o Projeto de Lei nº 015/2017 que “Proíbe a utilização de cerol ou de qualquer outro tipo de material cortante nas linhas de pipas e/ou papagaios, de pandorgas e de semelhantes artefatos lúdicos, para recreação ou com finalidade publicitária, no âmbito do Município de Rio das Pedras/SP”.

De acordo com o PL “fica proibido o uso de cerol ou de qualquer outro tipo de material cortante nas linhas de pipas, de papagaios, de pandorgas e de semelhantes artefatos lúdicos, para recreação ou com finalidade publicitária no âmbito do Município de Rio das Pedras/SP”.

“Vanderley Canela apresenta PL proibindo uso de “Cerol” em Rio das Pedras” – Foto: Arquivo/Jornal O Regional

O descumprimento da lei sujeitaria o infrator ao pagamento de multa, fixada em UFESP, através de regulamentação própria a ser expedida pelo Executivo Municipal, considerando-se por cada conjunto apreendido.

O vereador explica a preocupação com o tema. “A utilização crescente de cerol ou qualquer outro tipo de material cortante tem causado grande perigo e prejuízo à vida dos riopedrenses, sejam eles pedestres, motoqueiros, ciclistas e até mesmo os próprios usuários deste tipo de material, devido ao seu grau de risco lacero cortante infinitamente maior.  Além dos prejuízos à vida, também não podemos deixar de citar os inúmeros transtornos causados aos moradores e as redes elétricas que são interrompidas, devido problemas causados pelo uso do cerol, cujo material é confeccionado pela junção do vidro e cola”, destaca.

O vereador destaca que a ideia é disciplinar o tema e não somente proibir.

“Todos sabem das implicações que poderão ter as pessoas que utilizam cerol em fios na prática de empinar ou soltar pipas e similares, pois além das possibilidades de pequenos acidentes com os próprios usuários ou amigos que participam da brincadeira, pode ainda trazer consequências trágicas a terceiros. A prática dessa brincadeira, que também é criminosa, tem ceifado inúmeras vidas em todo o país. Por isso o projeto pretende disciplinar o seu uso e não proibir a brincadeira”, justificou o parlamentar.

Deixe um comentário abaixo