Voleibol Masculino de Águas de São Pedro é tricampeão do JORI

Publicado em Por Diagramador

O time de Voleibol Adaptado Masculino B (jogadores acima de 70 anos) de Águas de São Pedro tornou-se tricampeão estadual dos 21º Jori (Jogos Regionais dos Idosos). A equipe que é composta por Antônio Di Fabio, Adilson Madureira, Daniel Szylowiec, José João Furlan, José Manoel Ramirez, José Merlos Ruiz, Luiz Alberto Hanser, Luiz de Almeida Leite, Márcio Estevam de Paula, Nelson Andreoli, Odilson Augusto de Castro e Pedro Miron, disputaram a fase final em Sertãozinho, entre os dias 4 e 8 de outubro. O grupo conseguiu a vaga para a competição estadual, depois de conquistar a medalha de ouro em Lins. Na classificação geral, a estância ficou na 22ª posição entre 83 cidades participantes.

Águas de São Pedro jogou com os times de José Bonifácio e Guarulhos na fase classificatória, a semifinal foi com Valinhos e a final com Jundiaí. Em todas as partidas, o time da estância ganhou por 2 X 0 sets. A presidente do Fundo Social de Solidariedade, Rosa Piacentini, acompanhou as partidas do time nos jogos regionais e também na final dos Jori, torcendo pela equipe aquapedrense. Como torcedora assídua, Rosa destacou a dedicação da equipe durante o torneio: “O esporte é uma maneira de promover saúde e a sociabilização. Incentivamos a prática porque são importantes para os idosos, como vimos durante os Jori. Mas uma vitória em um evento de dimensão estadual, premia todo o esforço que eles tiveram”, completou.

“Voleibol Masculino de Águas de São Pedro é tricampeão do JORI” – Foto: Adilson Lopez

A educadora física e treinadora da equipe, Janaina Acácia Martins, relatou como foi sua expectativa em relação ao torneio, um misto de esperança e medo: “Ansiedade, essa palavra me definia às vésperas da minha sexta final estadual. Não deveria e não deixei que ninguém soubesse, mas, são 8 anos de existência da categoria 70 Anos Mais. Destes, estivemos presentes a cinco, tendo alcançado o título duas vezes e sido vice em três”, falou Janaina Martins. Segundo ela, o time de Águas de São Pedro perdeu dois campeonatos para a Tanabi, o qual esse ano havia se transferido e formado a equipe de José Bonifácio, o primeiro adversário da estância: “Seria o nosso jogo de estreia, o primeiro degrau que teríamos que superar para sermos campeões. Sim, eu estava muito ansiosa. Mas também Águas tem uma equipe fabulosa e esse era outro ponto que eu combatia, o nosso favoritismo. Todos diziam vocês vão ser campeões, não tem para ninguém e nós respondíamos ‘jogo se ganha em quadra’”, afirmou. Ademais, para a treinadora, ser a equipe a ser batida, a favorita, não faz bem: “Todos os olhos sobre nós. Mas Deus nos agraciou com a conquista. Sozinhos, não somos nada e nada é mais forte do que todos nós juntos”, disse.

O jogador Magirus (Luiz Alberto Hanser), 72 anos, destacou que a recomposição do time fez a diferença na hora de colocar a equipe aquapedrense de volta ao topo da competição: “Este ano passamos por uma remodelada no time e deu certo”, disse. Magirus é uma dessas novidades da equipe. Há vários anos ele participa de grupos de voleibol de cidades vizinhas (São Pedro e Piracicaba). Morando em Águas de São Pedro há dois anos, decidiu que era hora de entrar para o grupo da estância. O jogador já foi atleta de basquete e continuou a carreira mesmo depois de aposentado das quadras profissionais. Chegou a disputar três mundiais em categorias master pela seleção brasileira de basquete.

Deixe um comentário abaixo